COMO CALAR UM SERGIANISTA




Como muitos já sabem, no dia 07 de Janeiro de 2019 a prefeita Joelma, junto com Genilson Lucena e Zé Júlio, foram a radio Cabanos para promover a aquisição de carros para prefeitura. Em vista do processo movido pela própria prefeitura, para paralisar o Concurso Público, com alegações de que as provas foram mal elaboras, mesmo a prefeitura tendo aprovado o edital antes do concurso ser realizado, muitas pessoas ligaram e mandaram mensagens para rádio questionando o que estava acontecendo com o concurso e o que a prefeita tinha a dizer sobre ele, nessa ocasião a prefeita Joelma mentiu sobre o concurso e desrespeitou as pessoas que questionaram sobre concurso e que realizaram as provas, Genilson Lucena também resolveu responder sobre o Concurso Público e mentiu também.

Em vista de toda essa mentira e desinformação, Pierre Logan pediu para falar na Rádio Cabanos e essa entrevista ocorreu no dia 10 de Janeiro de 2019 , transmitimos uma live com a entrevista, publicamos a live da Rádio Cabanos e fizemos uma edição com as perguntas e respostas, para que caso alguém não tenha compreendido alguma coisa por algum erro de transmissão, ou problema de áudio, se ficasse claro cada um dos argumentos e mentiras de Joelma e Genilson que Pierre quebrou.

Deixamos aqui em tópicos essa lista de argumentos, para até mesmo se algum sergianista, defensor do desgoverno que só repete as falas que dizem sem questionar e pensar sobre, não confundam as pessoas que já entenderam seus direitos e querem ser livres do cabide de empregos 



  • AGUARDAMOS A RESPOSTA DO MINISTÉRIO PÚBLICO

O Ministério Público agravou e pode derrubar a liminar que a prefeitura realizou para paralisar o concurso, porque ele não concorda com o posicionamento da Prefeitura e já recomendou que prefeitura acabe com o processo, entregue logo os cargos e peça desculpas a população na audiência de conciliação realizada no dia 17/10/2018. O Ministério Público foi acionado através de uma denúncia feita por Pierre Logan processo 0010360-82.2018.8.17.9000 agravo de instrumento.

  • NÃO QUESTIONAMOS TODOS OS CARGOS

No pedido da liminar a prefeitura de Panelas pediu para que fosse impedido a publicação de todos os cargos.

  • UM ADVOGADO FEZ A PROVA DE SERVIÇOS GERAIS E NÃO CONSEGUIU PASSAR
Isso apenas prova a capacidade do advogado e não a dificuldade da prova

  • AS PROVAS NÃO ERAM COMPATÍVEIS COM OS CARGOS
Saber a Constituição é um direito de todo cidadão, então pedi-la em um concurso não é nada demais. Haviam perguntas que pareciam ser sobre legislação, mas eram questões de lógica e podiam ser respondidas apenas se usando da lógica. O que caiu na prova estava no edital e a prefeitura aprovou o que seria perguntado na prova. Se a prefeitura não considerava as questões da prova compatíveis com os cargos, poderia até mesmo especificar, tipo e quantidade de questões que desejaria em cada prova, afinal a prefeitura era parceira da ADM&TEC na realização do concurso público e teve que aprovar a prova e o edital. Ela leu o que cairia antes da prova ser aplicada, quando leio e aprovou o edital, e não se mobilizou, apenas questionou as questões depois que o Gabarito saiu e pessoas foram procurá-la.

  • SE VOCÊ NÃO É DE PANELAS, NÃO PODE QUESTIONAR

Xenofobia provinciana. Não estar em Panelas, ou não morar em Panelas não quer dizer que a pessoa não tenha direito de questionar sobre o concurso, até porque investigar o perfil de alguém na internet, não significa saber da história dela e de onde ela é, ou por onde passou, ou porque está onde está naquele momento da vida dela. O Concurso Público deve ser aberto a todos é um direito Constitucional e não obedecer esse direito é desrespeitar aqueles que fizeram a prova e todos que desejam tentar a segunda prova, já que o primeiro edital, não foi para todas as vagas existentes no Município.

  • AS PROVAS ERAM TODAS IGUAIS
Não foram as provas que ficaram iguais, o edital previa a igualdade, todos os editais previam que poderiam cobrar do artigo 1 ao 240 da Constituição. E é o Edital que estabelece o que cai na prova. E novamente como já dissemos, a prefeitura aprovou o edital, pois fez o concurso em parceria com a ADM&TEC, se não achasse justo deveria ter pedido a mudança durante a fase de aprovação do edital e não depois que a prova já foi aplicada.

  • MESMO A PROVA SENDO FEITA DE ACORDO COM O EDITAL, CAIU MUITA CONSTITUIÇÃO
Com esse argumento de Joelma, ela acaba com todo o processo que moveu, porque se a prova está de acordo com o edital e ela está, a prova está correta.

  • O QUE DISSERAM QUE CAIRIA NA PROVA, NÃO FOI O QUE CAIU
MENTIRA, como já dissemos antes, o edital que prevê o que cai na prova, é pelo edital que aquele que tem interesse em passar no concurso estuda. E o edital previa o que caiu na prova, como a própria prefeita confessou na rádio no dia 07/01/2019.

  • A PROVA DEVERIA AVALIAR SOMENTE O CONHECIMENTO ESPECÍFICO, ALGUÉM QUE VAI SER MOTORISTA DE TRATOR, DEVERIA SER QUESTIONADO E AVALIADO SOBRE DIREÇÃO E TRÂNSITO, POR EXEMPLO
Com questões específicas, como dirigir um trator, ser maquinista, é necessário comprovar capacidade mediante documentação, no caso de motorista, sua carteira dirá o que você pode ou não dirigir e se você pode dirigir, carteiras cassadas, vencidas, ou fora da categoria exigida te desqualifica a ocupar a vaga, a apresentação de um documento diferente do pedido para o cargo, ou a falta dele, desqualifica automaticamente a pessoa que realizou a prova e da sua vaga para o próximo na lista, com maior nota. Isso vale para qualquer documento que seja exigido. Então não basta alguém realizar a prova, tem que cumprir com os pré requisitos exigidos para vaga, sendo assim a pessoa que recebe a vaga do concurso está completamente testada para o cargo que irá exercer. 


  • CAIU NA PROVA DE UMA VAGA ALGO QUE NÃO DIZ RESPEITO A PROFISSÃO QUE PESSOA IA EXERCER
O conteúdo da prova deve ser questionado quando sai o edital, essa é a fase para se questionar o que se cairá numa prova. Se uma questão cai e não está no edital ela é anulada e não a prova toda. E se o edital estabelece que perguntara coisas que não são de respeito a profissão da vaga. O edital deve ser questionado. ANTES DA PROVA. A prefeitura de Panelas APROVOU o edital.

Como provamos, os argumentos da prefeitura não condizem com a verdade, nem com a realidade, como o Ministério Público recomendou, nós também recomendamos que a prefeitura peça desculpas a população e entregue logo os cargos. Ainda há vagas a serem preenchidas em Panelas, foram levantados 1006 vagas, o concurso foi apenas para 412 vagas. Já está claro, pelo histórico de 20 anos sem concurso, pelas contas com recomendação de serem negadas, processos judiciais e multas que a prefeitura paga diariamente, que o que ela deseja é continuar usando a contratação temporária com escopo de burlar o Concurso Público.

E mais uma pergunta: SE NÃO VAMOS CONTRATAR PESSOAS, AS AVALIANDO PELA CONSTITUIÇÃO, A PREFEITURA HOJE CONTRATA BASEADO EM QUÊ?



Por Alice Drake

Comentários