FRASES

SHOW DE DESRESPEITO COM QUEM PRESTOU CONCURSO PÚBLICO





Hoje, 7 de Janeiro de 2018, a prefeita Joelma, com Genilson Lucena e Zé Júlio foram a rádio para promover a entrega de veículos novos, particulares, que a prefeitura está contratando, mas a população querendo suas merecidas vagas que lutaram muito para conquistar no Concurso Público e teve o processo paralisado, por causa da prefeitura, fizeram perguntas a prefeita e a rádio de todas as formas possíveis e a reação da rádio, e dos entrevistados a essas perguntas, demostraram mais uma vez o desrespeito que a Prefeitura de Panelas tem a população Panelense e as pessoas que prestaram concurso público.


Mas primeiro recapitulando o que vem acontecendo com relação ao Concurso Público de Panelas, após 20 anos sem realizar concursos públicos, a promotoria processou a prefeitura alegando que ela estava utilizando as contratações para outros fins que não os regulares, as contratações foram consideradas ilegais, as contas de Sérgio Miranda tiveram recomendação de rejeição e a prefeitura foi multada por essas irregularidade, pressionada a prefeitura enfim cedeu e resolveu realizar o concurso público, nessa época Sérgio foi até a rádio Cabanos no dia 16/08/2017 e disse: “a gente vai ter que fazer concurso este ano”, mais uma vez dando uma declaração desdenhando a necessidade e ignorando a obrigatoriedade de realizar o concurso.


A prefeitura cedendo a obrigatoriedade, entrou em um consórcio e escolheu a ADM&TEC para realizar a prova, 412 vagas , sendo que no primeiro levantamento a necessidade de vagas era de 1006 no projeto de 18 de Agosto de 2017, ou seja, ainda é necessário que a prefeitura realize mais um concurso público para preencher todas as vagas existentes no projeto de lei. Sendo realizado a prova, a prefeitura entrou em um processo, contra seu próprio consórcio e a empresa que ela mesmo escolheu para que o concurso fosse cancelado, mesmo sem nenhuma fraude que justifique o cancelamento, alegando que a prova fora muito difícil e injusta para a maioria dos cargos, também declarou que a prova não era de acordo com o edital. Sobre a prova, o Movimento Cultural levantou o edital e verificou que as questões que estavam sendo consideradas injustas e fora do edital, as questões de Constituição Federal, além de serem uma necessidade para o cidadão de conhecer seus direitos, ainda estavam declaradas no edital que estariam presentes na prova do Concurso. Com a procuração da prefeitura o nome dos aprovados não foram divulgados e o concurso ficou paralisado, embora nós aqui divulgamos editais de convocação para segunda fase do concurso, 01 de Setembro de 2018, porque pegamos a informação antes dela ser retirada do ar e temos essa documentação arquivada.

Pierre Logan então entrou com uma denúncia na ouvidoria do Ministério Público pedindo que promotor público interpusesse um agravo de instrumento contra a liminar que impedia a publicação, 22 de Agosto de 2018, e esse pedido foi aceito. Ouve uma audiência de conciliação, 17/10/2018. O processou continuou e 18 de Dezembro de 2018 recebemos a informação que o processo estava chegando ao fim do agravo e o Procurador de Justiça do Ministério Público do Estado e Pernambuco, já assinalava de forma favorável a denúncia e pedia pelo reconhecimento da ilegitimidade ativa do município de Panelas, pelo conhecimento do Agravo e a cassação da decisão do juiz de Panelas. Estando então o processo em fase de aguardo a decisão do juiz e sendo esse o estado atual do Concurso Público.



Sabendo isso é possível entender a revolta e o desrespeito da Prefeitura a todos que participaram do concurso, para todos que estudaram e realizaram a prova e passara, e também os que estão aguardando o novo concurso que deve ser realizado para preencher todas as vagas necessárias das 1006 levantadas inicialmente. E mesmo já demostrando todo esse desrespeito pelos panelenses, na Rádio dos Cabanos, durante a “entrevista” de hoje a prefeita Joelma, Genilson Lucena e o próprios apresentadores da rádio zombaram da população tentando evitar o assunto do concurso e dando respostas que não condizem com a realidade.

Para começar muitas pessoas estavam ligando e mandando mensagens para perguntar sobre o concurso e não eram respondidas, nos do Movimento Cultural já estávamos cientes do questão e acompanhávamos tudo, ainda tiveram mensagens que foram ignoradas no Facebook, as pessoas perguntavam e não obtiveram resposta e durante a transmissão pode se entender o porque, a primeira pessoa que fez uma pergunta direta sobre concurso, foi pulada na leitura de comentários e depois chegou a ser mencionada sem que lhe falassem o nome, Zadiquiel da Silva, o apresentador, recomendou não falar sobre isso, insistiu diversas vezes que havia obrigatoriedade de resposta, falou que a prefeita não precisava responder na mesma hora, que deixariam a pergunta para depois, que falariam sobre isso depois, que se não quisesse falar sobre isso não tinha problema porque não era o assunto da entrevista, enquanto a prefeita Joelma perguntava se podia responder e quando foi dado a resposta, que na pergunta questionava o desrespeito da prefeitura, Joelma mencionou que a pessoa não era de Panelas e por isso não conhecia a situação da cidade, quando ela fosse efetivada ela entenderia, o tempo da enrolação, das desculpas do apresentador e das “tentativas” de Joelma responder, foi o suficiente para descobrirem de onde era a pessoa e desqualificar seu questionamento sobre o desrespeito, já que ela não estava lá para saber essas coisas. Como se fosse necessário estar lá para ver todas as tentativas da prefeitura de estender as contratações ilegais para mais um ano. Além das publicações do Movimento Cultural, vídeos, publicações de Pierre Logan, artigos no PanelasPernambuco.com . Bastava ler os autos do processo para saber o que estava sendo feito para atrasar o concurso. Aqui mesmo demos um resumo de toda situação.  Na verdade o que a prefeitura fez foi procurar uma verdade, que justificasse sua mentira, para dar a impressão que eles estavam falando a verdade, é uma técnica que se usa na fala quando não se tem nem argumento, nem domínio sobre um assunto, nem provas.


Depois desse comentário, foi a vez de Genilson Lucena também comentar o processo, repetir tudo que Joelma já tinha dito, sobre seus esforços para que o Ministério Público cancelassem as provas e refizessem o concurso e de que estavam aguardando a resposta do Ministério Publicou, interrompo aqui, porque no resumo já dissemos tudo que desqualifica essas declarações que estarão nesse vídeo anexo para serem vistas na integra, não há necessidade de espera do Ministério Público se manifestar, já ouve manifestação, aguardamos apenas a resposta do juiz e se Joelma ou Genilson Lucena tivesse lido os autos, saberiam disso, assim como nós. Também houve a defesa da prefeitura por Genilson declarando que um advogado concordava com eles, nós do Movimento Cultural também temos um advogado desse lado, o próprio Pierre Logan e o procurador já demostrou-se favorável a denúncia que Pierre abriu. De novo só aguardamos a resposta do juiz para dar continuidade ao processo e ao concurso.

Alguém também ligou para rádio e Zadiquiel atendeu, mas não deixou a pessoa falar ao vivo, apenas disse o que ela queria dizer, sem repassar o áudio, então não podemos saber se essa pessoa ligava para criticar ou elogiar, o que se sabe é que nos comentários, mesmo tendo os sempre comentários de elogios, havia mais indignação sobre o concurso e mais uma vez o comentário foi pulado, quando esse comentário foi ao fim lido, só se destacou uma parte dele, em tom de deboche, como se pessoas que comentasse estivesse se vangloriando sobre seu desempenho na prova, quando na verdade ela estava questionando que pessoas tinham passado, pessoas tinham conseguido responder a prova e ela estava de acordo com edital, ainda dizendo que toda a conversa sobre a prova não seguir o edital era enrolação.




Também sabemos que depois da prefeita Joelma e Genilson Lucena ter estabelecido que a o motivo da prefeitura não falar mais sobre o concurso era eles aguardarem resposta do Ministério público, o que não condiz com a verdade como já provamos nesse texto, algumas pessoas que mandaram suas perguntas sobre o Concurso Público pelo Whatsapp, muito antes, começaram enfim a receber resposta que era a mesma de Joelma de Genilson Lucena.



O programa se finalizou assim, os entrevistados se retiraram depois de dizer que haviam contratado os veículos particulares novamente e esperavam mais coisas boas a Panelas e a Rádio Cabanos repetindo uma e outra vez as mesmas palavras da prefeitura. Se Zadiquiel repetiu o que a prefeitura disse, ele não está acompanhando as notícias sobre o Concurso, porque saberia que o processo está aguardando a resposta do juiz e não do Ministério Público, em nenhum momento o apresentado teve uma postura de jornalista de representar os telespectadores e fazer a pergunta, questionando, precionando e colocando o seu conhecimento sobre o assunto como contra ponto da infomação que o entrevistado estava dando, ao contrário, o entrevistador apenas preparou o terreno para que os entrevistados dissessem o que queriam. A Rádio Cabanos debochou de seu nome, não agiu como um Cabano, como um guerreiro, apenas se submeteu o que a prefeitura lhe disse, sem questionar nada sobre o assunto e indo contra seus próprios ouvintes. E a prefeitura desrespeitou mais uma vez o povo que devera representar.

Enviar um comentário

1 Comentários