FRASES

DESPERDÍCIO DE 50 MIL REMÉDIOS EM CAMARAGIBE



A nova administração que assumiu a prefeitura de Camaragibe por 180 dias depois da prisão de Demóstenes Meira na operação Harpalo, descobriu um desperdício de 50 mil remédios e soros fisiológicos avaliados em mais de R$ 1 milhão. O Irmão de Demóstenes que também é ex-secretário da Saúde de Camaragibe, Luiz David Meira disse para o G1 sobre a acusação " infeliz, descabida e caluniosa." segundo ele para " tirar proveito político e manchar a imagem de Demóstenes Meira." Para lembrar um pouco da imagem desse prefeito preso, já escrevemos aqui, algumas coisas sobre ele, Demóstenes  é o que apareceu com áudios onde obriga os funcionário comissionados a assistirem o show da noiva, que também está sobre investigação na operação Harpalo, ele também  teve acusações de ameaçar pessoas que poderiam passar informações sobre sua acusação de superfaturamentos de contratos em um rombo de quase R$ 117 mil e dispensa de licitações que acumulou R$ 12 Milhões em manutenção de escolas, acusações que o levaram a prisão em 21 de Junho de 2019. O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco e a Polícia Civil acreditam que o total o rombo pode chegar a R$ 60 milhões . 

A investigação da TV Globo ainda pediu notas e verificou que alguns remédios encontrados tinham vencido a 2 anos atrás, Enquanto isso na cidade os postos de saúde tem falta de materiais para os habitantes que tem necessidade de receber insumos e continuam recebendo a notícia que não houve reposição. E a pasta da Saúde de Camaragibe já informou que estão em débito em mais de R$ 3 milhões. 410 Funcionários que trabalhavam na gestão de Demóstenes foram demitidos pela prefeita interina, já que esses não foram identificados na auditoria da cidade. 

A investigação continua e mesmo assim a administração anterior deixou uma nota em sua defesa repudiando as acusações e tentando  tirar deles a responsabilidade por administrar os medicamentos, que vou deixar no final. Independente das investigações ainda não terem se concluído e do prefeito não ter sido sentenciado, os remédios foram encontrados, a investigação da TV Globo fez imagens desses remédios e eles não chegaram nas mãos de quem precisa. E esse é o preço da corrupção, quem precisou todo esse tempo continuará não tendo o remédio, continuará tendo que esperar a reposição e continuará vendo essas notícias de dinheiro desviado e remédios perdidos, sabendo que não tem. É uma boa oportunidade para cortar da vida política todos os nomes que a pareceram na investigação Harpalo e cabe ao cidadão não votar mais neles.


Nota  da gestão de Demóstenes Meira fornecida pelo G1

A gestão municipal afastada de Camaragibe, por meio da ex-assessoria jurídica da Secretaria de Saúde, repudia veementemente as informações da prefeita interina, Nadegi Queiroz. As mesmas foram repassadas de forma temerária, leviana e caluniosa, a respeito do suposto descarte de "R$ 1 milhão em medicamentos e insumos hospitalares vencidos".

De acordo com a Diretoria da Central de Abastecimento Farmacêutica de Camaragibe (CAF), não existia nenhum medicamento vencido adquirido na gestão do prefeito afastado Meira, tampouco soros fisiológicos.

Vale ressaltar, ainda, que todo o controle do estoque, da distribuição de medicamentos e do gerenciamento, sempre foi realizado pelo Sistema Horus do Ministério da Saúde.

Sendo assim, a gestão anterior considera a denúncia infeliz, descabida e caluniosa feita pela gestora interina. Tudo isso não passa de uma caça oportunista, indiscriminada, odiosa e recheada de "factoides" com intuito de tirar proveito político e macular, mais uma vez, a gestão Meira.


Por Alice Drake

Enviar um comentário

0 Comentários